Saiba quais são as diferenças entre móveis planejados, projetados e modulados

Saiba quais são as diferenças entre móveis planejados, projetados e modulados
Saiba quais são as diferenças entre móveis planejados, projetados e modulados

Ter um negócio próprio é sonho de muitos empreendedores. E o setor moveleiro apresenta boas oportunidades e perspectivas positivas para as vendas de móveis planejados. Afinal de contas, quem não gosta de ter uma casa bem montada, com mobiliário de qualidade, bonito, funcional e que se encaixe perfeitamente ao seu espaço?

Para tirar todas as dúvidas sobre a área, explicando todos os procedimentos que resultem na criação de uma loja de sucesso, elaboramos um material completo. Aqui você encontrará respostas que vão ajudá-lo na jornada rumo ao estabelecimento de uma marca sólida no mercado.

Quer compreender o funcionamento do mercado de móveis planejados, o passo a passo para a montagem da loja, as estratégias para aumentar a eficiência nas vendas e o planejamento necessário para fazer o melhor aproveitamento possível dos canais digitais em prol da conquista da clientela? Basta continuar a leitura para descobrir!

Entenda a diferença entre móveis planejados, móveis projetados e móveis modulados

A escolha dos móveis para a casa é uma decisão importante. Além de representar um grande investimento, ela contribui para a decoração e até mesmo para uma vida tranquila no lar. Entre as opções mais comuns para o mobiliário principal estão os móveis planejados, móveis projetados e móveis modulados.

Mas você saberia dizer quais as diferenças entre estes tipos e como cada um deles influencia na execução de projetos para montar e decorar o lar de cada cliente? Veja, a seguir!

Mobiliário fixo: investimento para montar o lar perfeito

Um dos maiores comprovantes da conquista da independência é a compra do imóvel próprio algo que, para a maioria, significa a maior aquisição feita durante uma vida. Portanto, é de se esperar que a tarefa de montar o lar, seja uma tarefa a que se dedique muita atenção e cuidado.

Algumas peças, básicas para a composição dos ambientes, são fundamentais, como os armários do quarto e da cozinha. Além disso, existem outros que atendem às necessidades e desejos específicos de cada um. Há quem queira, por exemplo, ter um espaço na sala para fazer de home office, ou criar na varanda uma área gourmet.

Para tanto, o mais comum é que sejam usados móveis específicos e pensados para o cômodo. Os móveis planejados são aqueles pensados e projetados para cada cliente. Todas as medidas são tiradas milimetricamente e as peças são criadas exclusivamente para o local, de acordo com os materiais e acabamentos disponíveis na loja.

Já os móveis projetados são aqueles pensados e criados a partir do cliente, sem uma modulação fixa, estilos ou material pré-definidos. Ele permite total personalização, de forma a aproveitar o espaço totalmente.

E os móveis modulados são, dentre os três tipos apresentados, os que têm a menor capacidade de personalização. Eles são compostos por módulos pré-fabricados e podem ser compostos para atender, na medida do possível, as especificações do cliente.

Móveis planejados, projetados e modulados: escolha do melhor para cada ambiente

A questão é saber como fazer a melhor escolha para cada ambiente. A principal pergunta que deve ser feita é: qual a expectativa do cliente e seu perfil socioeconômico? Pessoas com alto poder aquisitivo, por exemplo, podem eleger os planejados ou projetados como possibilidade para a montagem de ambientes, pois, pela sua qualidade e capacidade de personalização, tendem a custar mais do que os modulados.

Além disso, é preciso considerar o risco dos projetados. Por serem feitos “do zero”, dependem muito da capacidade do profissional ou empresa contratada. O comprador, muitas vezes, vê uma proposta, um desenho ou um esquema, mas só poderá ter acesso ao resultado final depois de tudo pronto. Imagine se ele não gostar? Um desastre.

Já móveis modulados, por serem produzidos em larga escala e já chegarem ao ponto de venda prontos para montar, exigem menor planejamento e têm custo menor para o cliente. O lado ruim disso é que não dão muita liberdade para o decorador/vendedor. Ele precisa encontrar uma composição que se encaixe na área a partir dos módulos disponíveis.

Decoração: projetos ideais para a realidade de cada cliente

O ideal é buscar conciliar todos os fatores que levam uma pessoa a procurar uma solução específica. Conversar para entender gostos, usos e objetivos finais. Quem acabou de pegar as chaves para o novo apartamento, por exemplo, têm uma tela em branco para trabalhar, o que pode garantir uma maior liberdade na escolha dos projetados para compor os ambientes.

Já quem está envolvido na reforma da casa precisa tomar mais cuidado, pois é necessário respeitar o estilo predominante, para que os novos móveis não contrastem com o que já existe.

Portanto, além de vendedores, uma loja para o setor de planejados, projetados ou mesmo modulados, precisa de atendentes com conhecimentos específicos na área de decoração, habilitados para ajudar cada pessoa a realizar o projeto ideal para seu espaço e alcançar a satisfação total ao final da jornada.

Descubra a melhor opção de vendas para o setor de móveis: planejados, projetados ou modulados

Agora que as distinções entre os móveis planejados, projetados e modulados ficou clara, o passo seguinte para quem quer abrir um estabelecimento no setor moveleiro é descobrir qual entre estas áreas apresenta as melhores chances de sucesso.

Para ajudá-lo na jornada, preparamos alguns tópicos com informações sobre o setor a seguir.

Investimento no setor moveleiro: boa oportunidade para os negócios

Segundo pesquisa divulgada por uma instituição financeira, a indústria de móveis brasileira existe para atender, basicamente, a demanda interna. Com apenas 4% de importação e 5,5% de exportação, a maioria absoluta serve para atender os clientes, sejam eles empresas ou pessoas físicas. Fora isso, o mercado nacional é o quinto maior no mundo, com faturamento de 38 bilhões de Reais anuais.

Em suma: o brasileiro gosta de produzir – e de comprar – móveis.

Neste panorama, os móveis residenciais representavam, em 2015, mais da metade da participação na produção (67,7%), enquanto os móveis para escritórios e empresas somavam pouco mais de um quarto (25,5%).

Toda esta informação pode ser traduzida como um sinal verde para quem deseja começar a investir no setor. Os móveis para residências tendem a ser uma escolha mais segura por ter mais participação no mercado. Mas, ainda assim, dependendo da localização da sua loja – e dos índices de oferta e demanda na região – pode ser mais interessante buscar a especialização na área comercial ou de escritório.

Loja de móveis: personalização na medida certa

Quem busca uma loja de móveis raramente busca apenas uma mobília e ponto. Na verdade, ela quer encontrar a melhor resposta para uma questão, seja para projetos residenciais ou comerciais. O móvel é uma maneira de representar um estilo, seja ele pessoal ou de uma marca.

O mais interessante do setor moveleiro é que ele atende aos mais diferentes tipos de clientes, cujos gostos e necessidades tendem a mudar com o passar dos anos.

Para se ter uma ideia, uma criança até chegar à vida adulta passa por diversos ciclos no seu próprio quarto. Quando é bebê, tem um berçário, montado para atender tanto ao neném quanto para ajudar seus pais na rotina (trocar fraldas, acompanhar o sono). Depois, sai do berço para a cama infantil, geralmente acompanhada por um armário, mesa e cadeira do seu tamanho.

Pouco depois, trocam a cama pequena por uma em tamanho padrão adulto, na maior parte de solteiro. Precisam de mais espaço e independência, baú para guardar os brinquedos, um guarda-roupa e escrivaninha.

Na adolescência é provável que outras mudanças comecem a transformar o espaço. Mudam as cores, os estilos, até que ela possa desenvolver – com a ajuda dos pais e círculo social – o seu próprio estilo. Os personagens infantis cedem lugar aos ídolos teen e as cores básicas dão lugar a uma multiplicidade. E assim vão mudando até que têm o próprio lar.

Apenas neste exemplo, passamos por quatro ambientes distintos ocupando o mesmo espaço, necessitando de atenção específica para a mobília, acabamento e cores.

Um bom projeto de mobiliário planejado permite o melhor aproveitamento das peças, fazendo com que a passagem de ciclos seja menos custosa (em termos econômicos). Um multifuncional bem-feito, por exemplo, pode ter ajuste de altura que permita o acesso à crianças e adultos, convertendo uma mesa infantil em uma escrivaninha em alguns minutos.

Loja de móveis planejados: vantagens e benefícios

Falaremos adiante sobre os passos para abrir a loja, incluindo a pesquisa de mercado. A questão aqui é definir qual a solução que permite resultados mais seguros, tanto para você quanto para a sua clientela.

Os projetados são únicos, porém têm custo maior e mais difícil de prever. Seus funcionários terão muito trabalho para criar estruturas sempre diferentes, de acordo com cada cliente. A composição entre acabamentos, matérias-primas e design é praticamente infinita e cada processo de criação é único, como se fosse uma obra de arte.

Os modulados, por outro lado, são mais práticos e, como já dissemos, costumam ter custo menor. O processo de elaboração de projetos é mais facilitado, só que eles têm uma limitação grande: não podem ser personalizados para atender demandas específicas de tamanho e, dependendo do fornecedor, de acabamento.

Já os planejados podem ser vistos, neste universo, como o meio termo entre projetados e modulados. As melhores fabricantes investem em matérias-primas de qualidade e as peças podem ser ajustadas milimetricamente para caber no espaço disponível. E o melhor: o cliente pode conferir, no ponto de venda, o resultado final dos principais acabamentos e modelos, fazendo com que a decisão seja mais tranquila para ambos os lados (loja e comprador).

Entenda como funciona o mercado de móveis planejados

Conforme vimos, ter uma loja de móveis planejados pode ser uma ótima oportunidade dentro do setor moveleiro. Com uma indústria nacional forte e uma base de clientes interessados – principalmente nas regiões onde crescem os condomínios residenciais – ele é uma resposta prática para montar ambientes com rapidez e modernidade, sem abrir mão da exclusividade nos projetos.

Quer saber como fazer para criar a sua marca no mercado dos planejados? Veja as dicas que separamos para você!

Loja de móveis planejados: diferenciação para se destacar da concorrência

A concorrência faz parte de mundo dos negócios. A questão é aprender a lidar com ela sem que comprometa seus resultados. Para quem ainda está planejando a abertura de uma loja, uma estratégia interessante é definir o tipo de móveis que serão comercializados.

Para tanto, é necessário perceber a dinâmica do mercado local. Caso existam, por exemplo, muitas empresas especializadas em cozinhas, pode ser interessante oferecer linhas exclusivas para os outros ambientes da casa. Ou ainda: sair do mercado residencial e investir no setor comercial, ou de escritórios.

Outra maneira de buscar destaque dos concorrentes é por meio do atendimento. Quanto melhor a experiência oferecida ao consumidor na sua loja e quanto mais foco na qualidade da execução e resultado final, melhores as chances de conquistar clientes e fidelizá-los à marca.

Mas é importante estar atento às novidades do setor. Participar de feiras e trocar experiências é importante tanto para montar os ambientes da loja, quanto para fazer um atendimento eficaz e fechar a venda. É necessário saber quais as cores, modelos e estilos que estão em voga no momento e as tendências para o futuro próximo para treinar vendedores e, é lógico, montar o estoque.

Fornecedor de móveis planejados: parceria para o sucesso

Definir a origem de seus produtos é outro ponto essencial para quem deseja ter uma loja de móveis planejados. Na hora de escolher o fornecedor para seu negócio, faça uma pesquisa detalhada do histórico, clientes e produtos oferecidos.

A qualidade deve ser o foco, mas não a única preocupação. Analise a capacidade do fornecedor para cumprir os prazos (organização, logística e transporte), ou você corre sérios riscos de furar com o cliente por não ter recebido o material solicitado.

Promova avaliações periódicas com os fornecedores e, ao perceber problemas, busque uma forma rápida e prática para resolvê-los. Às vezes basta uma reunião para alinhar estratégias e ações, mas em outros casos, será necessário finalizar o contrato.

Monte a sua loja de móveis planejados

Chegamos à parte prática, ou seja, o momento de elaborar o planejamento estratégico para criar e estabelecer sua marca. Depois de fazer uma pesquisa de mercado, definir concorrentes e seu diferencial, é hora de juntar-se com os parceiros para definir pontos essenciais: localização, produtos, estrutura, marca.

Elaboramos um roteiro com as etapas essenciais para que você consiga abrir sua empresa.

Montagem da loja: passo a passo essencial

Definição e estudo da localização

Há quem diga que o sucesso de uma empresa depende muito da sua localização. Isso porque, dependendo de onde você abre seu ponto de venda, você atinge parcelas específicas da população local.

Não é à toa que grandes empresas do setor imobiliário lutem tanto por terrenos e áreas específicas dentro da cidade. Eles sabem que o sucesso de um empreendimento para o seu público-alvo começa com a localização.

Portanto, faça uma pesquisa cuidadosa na hora de definir seu público, percebendo no seu comportamento os detalhes que o fazem optar por certas lojas e marcas. Um estacionamento próprio numa área com poucas vagas pode ser um diferencial essencial e, se você busca o segmento de luxo, a oferta de manobrista pode ser um serviço que garante ainda mais exclusividade.

Registro da empresa

A burocracia é uma realidade. A abertura de uma loja de móveis planejados é um procedimento com exigências legais específicas, às quais você precisa estar atento.

O mais recomendável é contratar serviço especializado, já que são diversos os registros, cadastros e autorizações envolvidas, tanto para a abertura da empresa, quanto para abrir um estabelecimento comercial.

Estrutura

Uma loja de planejados não precisa, necessariamente, ter muito espaço para o seu funcionamento. O ideal é ter um showroom, um escritório para atendimento, um espaço para a administração e um estoque.

Vale lembrar que, como as montagens serão feitas na casa do cliente, é igualmente importante ter espaço para os veículos da loja (estacionamento, embarque e desembarque de materiais).

Equipe de trabalho

A escolha dos funcionários certos é outro ponto que merece destaque na hora de montar a loja. Escolha com cuidado as equipes responsáveis por cada área, realizando treinamentos periódicos, avaliando a produtividade e buscando maneiras de melhorar os resultados.

Montagem da loja: cuidados essenciais com o ponto de venda

A sua loja é o espaço para atrair a clientela e conquistar a sua confiança para fechar negócio. Portanto, crie ambientes que mostrem a qualidade dos produtos vendidos e a capacidade de execução dos mais diferentes projetos.

Lembre-se de manter a vitrine atualizada, informando sobre novidades e promoções.

Aumente a eficiência das vendas de móveis planejados na sua loja

Não basta ter uma loja aberta e bem montada. É preciso ter uma equipe especializada e pronta para atender cada cliente na busca pelo projeto ideal para mobiliar o lar. Invista em times de venda fortes, com lideranças fortes, mas não esqueça do administrativo e do operacional: a jornada do cliente não termina com o projeto, somente depois da entrega final.

Confira algumas dicas importantes para trazer mais eficiência – e conversões – para sua loja:

Treinamento para atendimento: vencendo objeções da clientela

A compra de um planejado é um investimento a longo prazo, o que significa que o cliente terá muitas dúvidas a serem esclarecidas, antes de estabelecer uma relação de confiança com sua marca para fechar negócio.

O ideal é preparar seu time para lidar com cada perfil de atendimento e resolver as principais objeções quanto o assunto é a compra de móveis planejados. Enfatize a importância de ouvir o cliente e buscar, em seu discurso, as respostas para as principais questões: orçamento, estilo, função, acabamentos.

CRM: parceiro de vendas

Outra maneira de faratir maior eficiência nas vendas é usar uma ferramenta para uma gestão facilitada da base de clientes e atendimentos. Um CRM (Gestão de Relacionamento com o Cliente, em tradução do inglês) automatizado é um sistema em que é possível cadastrar atendimentos, com informações essenciais que podem ser atualizadas.

Com ele é possível saber o histórico de compras de um cliente, preferências e dados cadastrais que permitirão manter contato constante. Assim fica mais fácil acompanhar a jornada, oferecer soluções com base em interesses anteriores e até mesmo auxiliar na resolução de problemas (ao fornecer dados de cada compra para o setor de pós-venda).

ERP: integração de processos, melhoria de resultados

Outra solução informatizada que vale a pena considerar para sua loja de móveis planejados é o ERP (Enterprise Resouce Planning, ou Planejamento de Recursos da Empresa em português). Ele é uma plataforma que integra todos os departamentos, promovendo o compartilhamento de informações para otimizar procedimentos internos do negócio.

Por meio do ERP é possível fazer a gestão do estoque (compras, logística, fornecedores), controle das vendas e outros dados que permitam uma administração eficiente. Com ele é possível emitir relatórios de produtos com maior saída, principais problemas enfrentados no pós-venda e até mesmo conferir a produtividade dos vendedores.

Conheça as melhores estratégias de Marketing Digital para loja de móveis planejados

Não poderíamos fazer um artigo falando sobre como abrir uma loja de móveis planejados sem falar do marketing digital. As vendas por meio da Internet vem crescendo a cada ano no Brasil e, portanto, é preciso criar uma estratégia para criar e fortalecer o seu e-commerce.

Marketing digital: ampliando os horizontes da sua marca

A Internet deixou de ser um diferencial para se tornar uma necessidade. Isto significa que não basta mais ter um site estático, é preciso investir nele como mais um canal de vendas para a sua marca. Use os meios possíveis para promover seus produtos e mostrar os seus diferenciais diante da concorrência.

Elabora um plano de marketing com base no perfil dos seus clientes e público-alvo, buscando estar presente onde eles estão. As redes sociais, por exemplo, são um canal cada vez mais comum para uma grande parcela de consumidores e manter perfis atualizados é uma estratégia interessante.

Com elas é possível apresentar sugestões de uso para seus produtos por meio de fotos e vídeos, cases de sucesso, depoimentos de clientes e parceiros, e até mesmo integrar as áreas de troca de mensagens privadas como parte de seus canais de comunicação com o público.

Aliar o e-commerce à loja física pode ser uma maneira eficiente de gerar mais leads e aumentar a participação no mercado.

Dicas de ouro: construção da sua presença online

Uma estratégia de sucesso requer um planejamento cuidadoso somado a ações consistentes e constantes. Seguem algumas dicas para construir a sua presença online.

Estabeleça uma linguagem para sua marca

As redes sociais costumam ser ambientes mais informais. Aproveite para estabelecer uma linguagem que permita maior contato com o seu público, ao mesmo tempo que se mantém fiel ao seu perfil offline. Não adianta ter um perfil moderno no mundo digital e outro, conservador, no ponto de venda físico.

Interaja com sua audiência

As redes sociais são espaços feitos para promover a interação entre pessoas. Portanto, não esqueça de acompanhar menções e comentários, respondendo cada um deles de forma personalizada.

Crie promoções exclusivas

Se você está começando a montar seus canais online, pode ser interessante criar promoções exclusivas para alcançar mais pessoas e construir sua audiência, ponto fundamental para promover a marca e conquistar clientes.

É possível fazer sorteios para turbinar o número de seguidores, oferecer cupons de desconto para as vendas online, ou ainda promover parcerias com formadores de opinião para promover sua marca.

Só não esqueça de investir em ações também no universo offline, para não correr o risco de perder vendas na loja física. O objetivo é criar mais um canal de atendimento, e não gerar uma competição dentro da sua marca.

A partir de todas as informações neste artigo, fica mais fácil tomar a decisão para ter um negócio próprio no setor moveleiro, seja com foco no residencial, comercial ou office. Com os fornecedores corretos, uma equipe forte e investimento em estratégias que aumentem a participação de mercado, as chances de sucesso são enormes.

Esperamos ter resolvido suas dúvidas sobre como criar e manter uma marca sólida no mercado.

Ficou com alguma dúvida sobre o setor de móveis planejados? Converse com nossa equipe e descubra como a Daico pode ajudar você nessa jornada!

Quer receber dicas e novidades?

Você pode saber mais sobre como lidarmos com seus dados pessoais e seus direitos, revendo nossa política de privacidade