Pós-pandemia e as mudanças em nossas casas

Pós-pandemia e as mudanças em nossas casas
Pós-pandemia e as mudanças em nossas casas

Estamos entrando em um novo tempo. Já conseguimos andar sem máscara em muitos locais, os casos diminuíram e – graças à vacinação maciça da população – estamos chegando ao novo normal.

A pandemia começa a nos deixar em paz, mas não sem deixar suas marcas.

Nem preciso falar de como nós mudamos, pessoalmente, nos últimos dois anos. Aprendemos a dar mais valor às pessoas, mudamos muitos hábitos e passamos a ter uma série de novas ações ligadas à higiene e à saúde.

E, se nós mudamos, o nosso ambiente também é transformado. É sobre isso que vamos falar neste texto.

O que já mudou em nossas casas e o que mais está por vir. Quais as tendências para o próximo ano e no que ficar de olho na hora de pensar num imóvel.

Afinal, vivemos um ‘novo normal‘, ainda cheio de incertezas, mas com muita esperança.

Nossos hábitos moldam nossa casa

Casa para morar bem

A primeira coisa que precisamos deixar claro é: nossa casa precisa não só ter a nossa cara, mas atender as nossas necessidades – e isso ficou muito evidente na Pandemia.

Isso diz respeito não só a termos uma casa no tamanho ideal, mas também a pensar qual nosso estilo de vida em contrapartida ao local em que moramos.

Por exemplo, para quem gosta de fazer atividades ao ar livre, precisar ficar em isolamento dentro de um apartamento não foi a melhor coisa, e essa é a primeira mudança que vemos em nossos lares.

Áreas livres 

Espaços para relaxar e descansar

Assim como no exemplo acima, muitas pessoas descobriram novos hábitos na Pandemia, muitos deles ligados à vida ao ar livre e precisaram adaptar seus espaços à nova vida.

A adoção de pets (que deve ser feita com responsabilidade, afinal esse bichinhos vivem muito tempo e precisam de atenção e cuidados), o interesse pelo cultivo de plantas, a prática de yoga, pilates e outras atividades mais livres, fizeram aumentar a busca por casas com quintal e por apartamentos com mais áreas verdes e de convivência.

Pets ganharam espaço

As pessoas não querem mais ter que ir até o parque a alguns quilômetros de casa, elas querem ter seus próprios espaços para relaxar e fazer o que gostam, no conforto de casa, com toda a privacidade e aconchego que o lar oferece.

Por isso, espaços externos como o quintal, varandas ou sacadas abertas com muito verde, ganharam e continuam tendo muito destaque no pós-pandemia.

Menos é mais 

Menos beleza, mais usabilidade

Eu nem me lembro quantas vezes já citamos esse item aqui no blog (só para você ter ideia de como isso é verdade). As pessoas aprenderam que não é necessário ter muito dentro de casa, mas sim, ter aquilo que as deixa felizes (alô, Marie Kondo).

As grandiosas decorações deram espaço a um estilo mais clean e minimalista, que valoriza mais a usabilidade do espaço do que apenas a sua beleza.

É por isso que estilos de decoração como o escandinavo vem ganhando tantos adeptos, sobretudo nos últimos anos: porque ele prioriza a casa como um local seguro, aconchegante e preparado para você fazer tudo o que precisar.

Aproveitar cada espaço da casa

É a sua casa, seu lar e você não precisaria ir a outro lugar para fazer as suas coisas. Sua casa é o seu lugar!

Salas com mais sofás e menos enfeites, móveis que sejam bonitos e ao mesmo tempo com grande usabilidade e o uso de almofadas, mantas e tapetes são alguns dos itens que ganharam espaço especial nesta pandemia. Tudo para deixar a casa mais aconchegante.

Em casa também se trabalha

O home office virou parte da vida

O home office chegou para ficar na vida de muita gente – e isso também precisou ser adaptado à casa.

Em muitos lares, o espaço de trabalho precisou ser adequado num cantinho, o que gerou um dos grandes coringas da decoração pós-pandemia: os espaços multifuncionais.

Quartos que também comportam a mesa para o computador, a sala que ganhou um cantinho mais ajeitadinho para as reuniões online. Tudo isso passou a fazer parte das nossas vidas – e vai continuar fazendo.

Até a cozinha pode virar espaço para home office

Para quem precisa ter um espaço na casa atual, nossa dica é trabalhar a funcionalidade de um espaço já utilizado, como a sala de estar ou jantar, o quarto e até mesmo o corredor, caso você disponha de um.

Já para quem está criando um espaço novo, não deixe de pensar na possibilidade de ter um escritório ou espaço office. Ele vai funcionar muito bem, não só na hora do trabalho, mas para quem quer tirar um tempo para estudar, ler ou se concentrar para algo importante.

Entrar virou um ritual 

Hall de entrada passou a ter função

Muitas pessoas tinham o hábito de não entrar em casa com o calçado da rua, mas com a pandemia, isso virou um acordo global.

Por isso, o espaço de entrada da casa se tornou o santuário das boas práticas sanitárias.

O hall ganhou um móvel para abrigar os calçados que chegam da rua e guardar aqueles que serão usados dentro de casa. Casacos e bolsas também ficam por ali e o álcool gel virou figurinha carimbada em todas as casas e apês.

E isso não deve mudar tão cedo, afinal, trocar o calçado para entrar em casa faz com que centenas de bactérias, ácaros e minúsculos vírus indesejados, sejam mantidos fora das nossas casas.

Trocar de calçado é um hábito que veio para ficar

E na sua casa, quais são as mudanças mais visíveis que a pandemia trouxe, conta para a gente.

E não esqueça de seguir a Daico nas redes sociais. Assim você não perde nenhum conteúdo.

Quer receber dicas e novidades?

Você pode saber mais sobre como lidarmos com seus dados pessoais e seus direitos, revendo nossa política de privacidade