4 técnicas de vendas que você precisa utilizar em seu negócio

4 técnicas de vendas que você precisa utilizar em seu negócio
4 técnicas de vendas que você precisa utilizar em seu negócio

Por acaso, você gostaria de trazer novos clientes para o seu negócio, aumentar o número de vendas e ainda contar com mais chances de fidelizar seus consumidores? Se esse é o seu caso, saiba que trabalhar uma técnica de vendas corretamente pode ajudá-lo.

O comércio tem suas raízes na antiguidade, quando grupos diferentes trocavam suas produções entre si. Por isso, muitas pessoas acreditam que vender serviços e produtos é uma espécie de habilidade inata dos indivíduos e que só precisa ser despertada.

No entanto, convenhamos que não é tão simples. O consumidor moderno é exigente e muito informado, portanto, todo conhecimento pode e deve ser usado a seu favor. Confira, agora, 4 técnicas de vendas que precisam estar presentes no dia a dia do seu negócio!

1. Entenda a sua buyer persona

A melhor maneira de conquistar um cliente é criando um relacionamento legítimo com ele. Ou seja, entenda não apenas as suas características sociais e demográficas, mas também suas dores, opiniões e ambições.

Nesse sentido, surge a buyer persona, um perfil semi-ficcional baseado em dados reais que representa o cliente ideal de uma empresa. Esse entendimento mais amplo da audiência permite uma abordagem muito mais precisa do vendedor, além de estimular a empatia.

Essa é uma das técnicas de vendas que se inserem no chamado Marketing 3.0, descrito por Philip Kotler como uma nova abordagem da comunicação empresarial focada em valores, isto é: o cliente não pode mais ser tratado como número, mas, sim, como ser humano.

2. Foque no verdadeiro benefício

Dando continuidade a uma abordagem mais empática, o vendedor precisa compreender as verdadeiras motivações do seu consumidor. O ponto-chave dessa técnica de venda é que raramente o produto ou serviço ofertados representam aquilo que o cliente realmente busca.

As pessoas não estão verdadeiramente interessadas nas roupas, objetos e veículos que compram, mas na experiência que esses produtos proporcionam. É por isso que anúncios muito descritivos não chamam a atenção dos consumidores. Afinal, não é o produto em si o que eles procuram.

Se você vende móveis planejados, por exemplo, procure não se prender às características das peças e informe apenas o que o cliente perguntar. Focando no verdadeiro benefício esperado — como o prazer de contar com um ambiente moderno para conviver e receber visitas —, o vendedor torna-se muito mais persuasivo.

3. Conduza o cliente até a solução final

Empurrar produtos para os consumidores pode funcionar para vendedores que trabalham com itens de consumo imediato nas ruas, mas certamente não funciona nos demais segmentos, sobretudo, quando o valor das mercadorias ou dos serviços é mais alto.

O segredo para resolver esse impasse é conduzir o cliente até o produto. Em vez de levar a oferta até os consumidores, nós podemos fazê-los concluir, por conta própria, que necessitam do item.

Voltamos, então, à buyer persona para trabalhar suas dores e ambições. O papel da comunicação da empresa e de seus vendedores, nesse caso, deve ser realçar o problema do cliente e seus impactos em sua vida para que ele procure, deliberadamente, pelas soluções que você oferece.

4. Identifique e quebre objeções

As objeções são dúvidas e informações que impedem um consumidor de fechar a venda. Portanto, seu objetivo consiste em identificar essas objeções e apresentar caminhos e argumentos que as esclareçam.

Esteja sempre aberto e preparado para responder qualquer tipo de questionamento dos consumidores. E, acima de tudo, seja honesto. As pessoas não são tolas e nunca contaram com tantos recursos para se informar.

Quaisquer inconsistências ou vantagens indevidas percebidas pelas pessoas podem arruinar a negociação e até comprometer a marca do empreendimento. Por outro lado, em um mundo tão marcado por fraudes, roubos e corrupção, determinados valores, como honestidade e transparência, podem ser determinantes na decisão de compra e fidelização.

Por fim, não se esqueça de que, por mais que uma técnica de vendas seja plenamente capaz de ajudá-lo a conseguir mais clientes, negociar também exige criatividade e “feeling”, duas competências que só podem ser desenvolvidas por meio da experiência construída com o seu público. Portanto, pratique sempre!

Este conteúdo foi útil para você? Então, assine a nossa newsletter para receber as novidades do blog e participar de promoções exclusivas!

Quer receber dicas e novidades?

Email cadastrado com sucesso! :)